segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Fosfoetanolamina​ - A cura proibida

Fosfoetanolamina é uma "substancia". Não é remédio! A fosfoetanolamina é substância encontrada no leite materno, e não tem efeitos colaterais. Aliás, o sistema imunológico dos bebês é exercido por tal substância durante os primeiros dois anos de vida.

Cientistas tiveram a capacidade profissional de sintetizá-la em laboratório, porém, como também se descobriu que essa substância sintetizada “CURA O CÂNCER”, o governo federal, através da ANVISA, vem querendo impedir as pessoas de terem acesso a mesma. Logo, concluímos que só pode estar havendo uma conspiração pela ANVISA, hospitais oncológicos e grandes laboratórios.

Do ponto de vista da doutrina do Direito Natural, temos o direito pessoal de ingerirmos o que bem entendermos, desde que não seja uma substância considerada ilícita pela lei penal. Por outro lado, se temos o direito de matar em legítima defesa, por que não temos o direito de sobreviver por mais tempo, pelo mesmo princípio da legítima defesa?

A fosfoetanolamina sintética inicia sua ação procurando por uma coisa que TODO TIPO DE CÂNCER possui “Células tumorais”. Encontrando essas células doentes, a fosfo reconhece e implanta nela um sinal. Tempos depois, o sistema imunológico irá identificar esse “sinal” dentro dessas células doentes, fazendo com que o próprio corpo perceba q trata-se de uma célula doente, portanto, deve ser eliminada. Pronto! Acontece então o processo de apoptose, a morte celular. Dessa maneira, no contínuo uso da substancia, TODAS as células tumorais que um corpo possa ter serão eliminadas – e na verdade pelo próprio corpo. Os tumores irão secar até desaparecerem e, através de um processo de fibrose, o local será revestido.

Quem sabe da Fosfoetanolamina e ainda assim não se interessa ou prefere ser "neutro", está cometendo simplesmente uma estupidez, pois obviamente os "poderes ocultos" vão barrar qualquer remédio contra o câncer, portanto, é necessária a nossa luta e força de vontade. Mais vergonhoso ainda é ver as milhares de pessoas que trabalham com portadores da doença não dando a mínima para a substancia. Preferem seguir vendo as pessoas sofrerem e morrerem do que conhecer e lutar por uma poderosa esperança que já está gritando pelos cantos do país e tomando proporções mundiais! Mas eles continuam dormindo e seguindo com suas velharias e métodos que muitas vezes matam ao invés de salvar. O nome disso é “Falta de vergonha na cara”.

Se a Fosfo provar ter mesmo esse poder que alegam, a carreira desses profissionais simplesmente irá terminar. Será que é mesmo por isso que são tão omissos? Será mesmo possível existirem pessoas tão absurdamente egoístas, sádicas e asquerosas? Eu espero que não! Espero que todos acordem para a verdade, e a verdade é essa: O CÂNCER TEM CURA! Nós descobrimos.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

O caso Erlan – O mistério do inchaço extravagante

*por Adrian Mcoy

Na madrugada desse domingo (03), um caso chocante chegou a redação da Revista Cidade Poesia. Jaqueline Oliveira, direto da Bahia, publicou em rede social o caso de seu irmão acidentado “Erlan de Oliveira Santos” que se encontra atualmente em Bragança Paulista, o qual chocou centenas de pessoas que desde então se solidarizaram com a família, passando a ajudar de todas as maneiras. Já nessa terça (05) foi estabelecido contato com Naildes Conceição de Oliveira, mãe do jovem enfermo, onde ficou combinado uma visita a sua residência para verificar o caso e buscar uma possível ajuda. Acionei o vereador Rafael de Oliveira e juntos partimos ao atual endereço de Naildes no bairro Vila Mota - Bragança Paulista. Enquanto esperávamos Naildes chegar com seu filho, de ambulância do hospital para sua casa, coincidentemente verificamos que o vereador Miguel Lopes, a secretária de saúde Grazielle Bertolini, Daniela Dantas (diretora da ASA), a empresária Cristina Marcondes e mais um casal também estavam por lá aguardando a chegada de mãe e filho.

Após um período de espera, a ambulância chegou e todos fomos para dentro da residência onde Erlan foi colocado em sua cama hospitalar e sua mãe começou a nos contar sua história:

- Erlan de Oliveira Santos (servente de obras / Ipiaú – Bahia) sofreu um acidente de moto que lhe causou um grave traumatismo craniano em 7 de setembro de 2013, obrigando o mesmo a passar por uma cirurgia devido a um inchaço no cérebro (caso de hidrocefalia). O procedimento, porém, lhe deixou com um coágulo e fora dito que em um ano ele deveria voltar ao hospital para fazer uma drenagem. Após esse período, já estando na cidade de Bom Jesus – SP, Erlan, há 3 meses, se mudou para Bragança Paulista e foi ao hospital da Universidade São Francisco, sob cuidados do Dr. Carlos Tadeu Parisi para realizar o combinado, porém, a intervenção pareceu ter dado errado. Antes dela o Jovem reagia bem, mas após a mesma ficou totalmente debilitado e com um caroço enorme em sua cabeça, no local do traumatismo. Além disso, aconteceram problemas com a mangueira da sonda de alimentação do jovem pouco antes desses eventos. Da primeira vez haviam trocado a sonda de gastronomia por uma urinária! Desde então, Naildes vem pedindo ajuda a muitas instituições e igrejas, as quais vem fazendo o que podem pela vida de Erlan. A desesperada mãe necessita agora de uma nova cirurgia para resolver o enorme caroço na cabeça de seu filho, com a esperança de que se aquilo sair ele tenha significativas melhoras, porém, o doutor que fez o último procedimento lavou as mãos e não quer mais saber do caso.

Essa é a versão contada por Naildes e gravada por mim durante o encontro em sua residência. Após os dizeres, a secretária de saúde prometeu que ia dar a devida atenção ao caso, verificando qual é a situação do garoto de acordo com o hospital e o que deve ser feito. Caso o HUSF não possa arcar com o caso, Erlan será encaminhado a UNICAMP para novas tentativas.

Após a saída da residência de Naildes, uma outra questão começou a ser debatida pelos voluntários da ASA e a empresária presente. Aconteceu que a irmã de Erlan, Jaqueline Oliveira, que ainda reside na Bahia, lançou uma campanha no Facebook para arrecadação de dinheiro para realização da cirurgia do irmão, na qual postou várias fotos de Erlan já acamado e outra com ele ainda saudável. Além do mais, Jaqueline dizia nessa postagem que precisava de um valor por volta de R$20.00,00 para a realização do procedimento. No entanto, a verdade é que ninguém ainda sabe exatamente o que deve ser feito por Erlan, que tipo de cirurgia deve acontecer e, portanto, qual seria o valor para isso, sendo que pode vir a ser até gratuito pelo S.U.S.

*Por telefone, uma outra irmã de Erlan, Poliana de Oliveira, informou a nossa revista que o caso de seu irmão é de Hidrocefalia e, portanto, ele precisa de duas cirurgias: uma de degranem do liquido na cabeça e outra de reconstrução de crânio, acrescentando que ambas podem ser feitas pelo S.U.S.

Logo, fica a pergunta: Porque Jaqueline alegou precisar de uma quantia tão grande para seu irmão, sendo que nem sabe do que ele realmente necessita, tão pouco o valor disso, além de sua outra irmã ter afirmado que o S.U.S faz gratuitamente? E mais! Porque ela inseriu a conta de seu marido na postagem que pedia doações, ao invés de inserir a conta do irmão, já que ela se encontra do outro lado do país? Havendo explicações, fica a nossa gratidão e admiração a Jaqueline por sua luta.

Aguardamos o desfecho desse caso, o qual depende agora dos esforços de Grazielle Bertolini, a secretária de saúde, que irá finalmente verificar os registros hospitalares para então analisarmos quem realmente está falando a verdade.

Ficamos no aguardo! A história continua...

Próxima edição! 004 - A carreira de João Valle